Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

Aplicativo sem propaganda para o taxista e passageiro não funciona

Aplicativo regulamento

 

    O aplicativo Uber ganhou campanha de marketing nacional sem nada gastar com os protestos dos taxistas, se tornando conhecido rápido e se colocando a disposição do passageiro, embalado pelos protestos.

    Vários aplicativos já surgiram entre os taxistas de São Paulo, Federação, Associações, Cooperativas, empresa frota de táxi, Sindicato e vários outros de empresa particular. Nada adianta se não for realizada uma grande campanha  na mídia impressa e falada em favor do passageiro e taxista.

        “Com visão no futuro do serviço de táxi no uso da tecnologia, em 2010 criei o aplicativo “TáxiSP”,  com investimento de 200.000,00 em propaganda , mais R$ 70.000,00 com o custo da plataforma. Chegamos a cadastrar mais de 2.500 taxistas. Mesmo assim não foi o suficiente para atender a demanda que chamava o aplicativo “TáxiSP”. 

     Com a divulgação, cadastramos  uma boa quantidade de usuários do serviço de táxi. Não existia Uber e os aplicativos cobravam o preço da tarifa de táxi, sem nada cobrar do taxista, ou seja, oferecia um serviço grátis. O número de carro que tínhamos não era o suficiente  para cobrir os bairros que mais chamava exemplo: Tatuapé, Penha, Jardins, Vila Olímpia, Brooklin, Santo Amaro, Aeroporto de Guarulhos, Congonhas, Santana, Bom  Retiro, Barra Funda, Lapa, Pinheiros, Morumbi, Butantã  e tantos outros bairros.

 A “99Táxi”, na ocasião e a Easy-Táxi, nada cobravam do taxista  pelo serviço prestado. O “TáxiSP”, também  nada  cobrava.  O passageiro quando chama pelo aplicativo, se demorar ele vai embora e não chama mais, ou seja, cai na falta de credibilidade.

    Para que o serviço chegue a vários bairros, precisa de  no mínimo seis mil carros cadastrados e continuar investindo em Marketing. Isso fizemos pelo “Táxi SP”.  O custo operacional alto, divulgação, o pessoal que operava em parceria com a Coopetasp, acharam melhor encerrar as atividades. Se o “TáxiSP”, tivesse continuado, hoje seria o aplicativo do taxista, capaz de competir com qualquer outro no mercado”, declarou Salomão Pereira.

2013-Rosane