Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

Prefeitura renovou autorização para a circulação de táxis nos corredores

A Prefeitura do Município de São Paulo, através da Secretaria Municipalde Transportes (SMT) renovou até o dia 30 de setembro de 2014 a autorização para circulação de táxis nos corredores de ônibus da capital. Os táxis poderão utilizar os corredores todos os dias e horários da semana, desde que estejam transportando passageiros. Para isso, não podem possuir película de escurecimento nos vidros (insulfilm), porque ela dificulta a visualização do interior do carro pela fiscalização.

    

Os taxistas devem lembrar que é expressamente proibido o embarque e o desembarque de passageiros e o tráfego em terminais e estações de transferência existentes ao longo dos corredores exclusivos de ônibus. Além disso, há restrições específicas de velocidade nesses locais, que podem ser diferentes das outras faixas da via. Essas restrições são válidas para qualquer tipo de veículo ou horário.

    

A autorização para o uso de corredores de ônibus foi determinada pela primeira vez em agosto de 2005 e, desde então, sua renovação tem sido feita. A Secretaria de Transportes adota essa medida porque considera que o serviço de táxi, destinado ao transporte de passageiros, contribui para a redução de congestionamentos. 

 

Os corredores de ônibus liberados para o tráfego são:

• Pirituba/ Lapa/ Centro
• Inajar/ Rio Branco/ Centro
• Campo Limpo/ Rebouças/ Centro
• Santo Amaro/ Nove de Julho/ Centro
• Jardim Ângela/ Guarapiranga/ Santo Amaro
• Capelinha/ Ibirapuera/ Centro
• Parelheiros/ Rio Bonito/ Santo Amaro
• Itapecerica/ João Dias/ Centro
• Paes de Barros

 

Fonte: http://www.cetsp.com.br/consultas/seguranca-e-fluidez/automoveis-no-corredor-de-onibus.aspx

 

Opinião de Salomão Pereira:

     

Porque não liberar o tráfego de táxis com passageiros também no corredor da Avenida Cupecê e nas faixas exclusivas para ônibus? Mais pessoas deixariam seus carros em casa se tivessem a certeza de chegar mais rápido em seus destinos.

    

A permissão para a circulação de táxis nas faixas exclusivas não atrapalharia em nada a velocidade dos ônibus, já que os táxis só utilizariam as faixas se estivessem com passageiros.

    

Devido a essa restrição, o passageiro de táxi acaba pagando de 30 a 40% a mais no valor de sua corrida. O taxista também perde, porque poderia atender três passageiros a mais com o tempo perdido nos congestionamentos.

    

As autoridades de trânsito não sabem aproveitar a frota de táxi do município de São Paulo em favor da população. A falta de força política tem complicado cada vez mais a vida do taxista de nossa cidade.