Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

440 municípios brasileiros já são atendidos pelo gás natural GNV

Rio de Janeiro continua sendo uma das capitais com o maior número de conversão para o GNV. Nos três  primeiros meses do ano 2017, mais de 11 mil veículos foram convertidos. Quem passa o veículo para a modalidade Gás Natural na cidade do Rio de Janeiro, paga apenas 15% do IPVA. Na cidade do Rio de Janeiro na maioria dos postos o preço do litro da gasolina é acima de R$ 4,19, e o do álcool, R$ 3,59, segundo dados da ANP.

     São Paulo ainda é a cidade com o menor preço dos combustíveis. A gasolina, na maioria dos pontos, já chegou a R$ 3,40. O preço do álcool está acima de R$ 2,50. Isto faz com que o quilômetro rodado do veículo fique cada vez mais caro para os táxis, que tem o combustível para o trabalho diário. O GNV em São Paulo, na maioria dos postos, custa R$ 1,99, o mesmo preço também na cidade do Rio de Janeiro.

    Depois de avançar no setor, a venda de distribuidoras estaduais de gás natural é o novo alvo do programa de desestatização do BNDES. O banco já tem sinalização de sete estados interessados em vender integral ou parcialmente suas participações nas empresas, entre eles o de Pernambuco, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. O objetivo é elevar a capacidade de investimentos das companhias, para expandir a malha de dutos e atingir novos clientes e municípios, além de levantar recursos para os estados num momento em que atravessam grave crise fiscal. A previsão é fazer os leilões no terceiro trimestre de 2018.

    Hoje, com exceção de duas distribuidoras no Rio (Ceg e Ceg-Rio) e duas em São Paulo (Comgás e Gás Natural Fenosa), as demais 22 distribuidoras no país têm controle estatal. Na maior parte delas, os governos estaduais detém 51% das ações com direito a voto. O restante ou está nas mãos da Gaspetro (sociedade entre Petrobras e a japonesa Mitsui) ou está dividido entre ela e sócios minoritários privados. A própria Mitsui, além da participação via Gaspetro, está presente diretamente em algumas distribuidoras.

440 municípios já são

 atendidos pelo GNV

   Para especialistas, a entrada de novos investidores privados nas distribuidoras pode ajudar a massificar o consumo de gás natural no Brasil, fazendo essa fonte de energia se expandir. O gás natural canalizado é realidade em apenas 440 dos 5.570 municípios brasileiros, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). E está presente em apenas três milhões de residências, de um universo de 68 milhões de domicílios no país, com grande opção para o crescimento. Aonde ele não chega é preciso recorrer ao GLP (gás de botijão) ou a lenha, por exemplo, para esquentar comida.

Fonte online Jornal o Globo. 

Curta a Folha do Motorista

Visitantes online

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online